Design Thinking Para Projetos Sociais

Atualizado: 14 de jun. de 2021

Olá, bem vindx ao BLOG do time ENACTUS UNIFEI Itajubá! Abaixo você encontrará um conteúdo sobre: Design Thinking e aprenderá como elaborar projetos com grande impacto social.


Em um projeto Enactus é fundamental que se saiba ouvir a comunidade onde ele será criado, para assim se ter um novo olhar para a problemática em questão, podendo então encontrar soluções que realmente gerem um impacto positivo. Sendo assim, o ponto chave não é o que achamos que seria benéfico para eles, mas sim o que de fato eles querem e precisam. Para alcançar esses resultados usamos a metodologia do Design Thinking. Ela consiste na elaboração de projetos através da empatia para entender a comunidade e em conjunto com ela a criar algo onde ela seja o centro do desenvolvimento do projeto. Vamos falar um pouquinho do passo a passo de como criar um projeto seguindo as bases do Design Thinking e ficar por dentro dessa metodologia incrível que vem mudando cada vez mais a realidade de várias pessoas.




Primeira etapa: Imersão


Nessa fase você irá se inserir na comunidade com o objetivo de construir laços de confiança e de entender as dores, necessidades, pensamentos, comportamentos e tudo relacionado ao lugar e às pessoas dele. É importante que você vá encontrar a comunidade sem ideias pré-concebidas para que possa entender o máximo possível como a comunidade de fato se sente e não como você acredita que ela se sinta. Através do primeiro contato serão recolhidos os dados primários sobre a comunidade e com a análise dos dados, do contexto da comunidade e de novas informações irão surgir os dados secundários. Algumas ferramentas como a árvore dos sonhos e o muro das lamentações podem te ajudar nesse momento.



Árvore dos sonhos: é uma analogia na qual a copa da árvore representa os sonhos, o tronco é o caminho a ser percorrido até alcançá-los e as raízes são as bases para conseguir atingi-los, ela deve ser feita em conjunto para se analisar as expectativas e desafios que seu projeto terá.


(Fonte: autoral)




Muro das lamentações: é uma dinâmica para se entender a fundo as dores da comunidade e o que impede que eles alcancem os sonhos representados na árvore. É muito importante que se tenha muita cautela durante a aplicação dessa dinâmica na comunidade, pois ela pode envolver traumas e assuntos delicados para alguns.


(Fonte: autoral)




Segunda etapa: Reflexão


Bom, depois de ir até a comunidade, conhecer um pouquinho das pessoas, é necessário que você pare para analisar tudo que foi absorvido durante a imersão.... Essa etapa tem como objetivo o entendimento dos problemas e contextos da comunidade. Aqui tudo que você e seu grupo relataram durante a primeira etapa vai ser discutido, é importante que essa fase seja feita em conjunto, para que todos possam expressar o que sentiram e entenderam na imersão. As ferramentas utilizadas durante esse processo são a criação da persona da comunidade, o diagrama de afinidade e o mapa da empatia. Elas irão ajudar você e seu grupo durante o processo de sintetizar os dados coletados.



Persona: a criação da persona ajudará seu grupo a criar uma identidade para a comunidade, com base em tudo que foi relatado, facilitando o entendimento das necessidades deles.



(Fonte: Enactus Brasil)




Diagrama de afinidade: é uma técnica que tem como objetivo reunir todas as informações coletadas, para facilitar a visualização e compreensão dos fatos.



(Fonte: Design Thinking aplicado em projetos sociais. Fundação Telefônica)




Mapa da empatia: com base nas informações coletadas, você e seu grupo irão colocar no mapa tudo aquilo que passam no seu dia a dia, o que fazem, sonham, sentem…



(Fonte: Empatia para inovar-Design Thinking. Enactus Brasil)



Nesta etapa haverá diversas ideias para solução dos problemas da comunidade, é necessário que se tenha cuidado para que não haja conclusões precipitadas… Caso sintam que há necessidade de se aprofundar mais na comunidade, é aconselhável que voltem à etapa de imersão.




Terceira etapa: Ideação


Depois de conhecer a comunidade e entender sobre a sua realidade, chegou a hora de criarem e escolherem uma ideia. Como o projeto será em conjunto com a comunidade é necessário que ela esteja presente nessa etapa e se sinta realmente parte daquilo. Seu grupo e a comunidade precisam estar alinhados nesse momento. As ferramentas que seu time irá usar nesta fase são o brainstorming ou brainwriting, elas são bem parecidas e a escolha vai de acordo com o que vocês se sentirem mais confortáveis em fazer.


Brainstorming: nessa ferramenta será apresentado o problema da comunidade e todos os envolvidos vão falar e levantar propostas para o projeto. É importante que todas as partes sejam ouvidas.


Brainwriting: essa técnica é bem parecida com a anterior mas ao invés de falarem, os participantes vão anotar suas ideias, essa opção é interessante para que pessoas tímidas também participem de maneira efetiva nesta etapa. Depois de anotar sua ideia o papel será passado para a pessoa ao lado que fará o mesmo, repetindo o processo algumas vezes, em seguida as ideias serão lidas e os participantes escolherão as mais viáveis.




Quarta etapa: Prototipação


Depois de todo o preparo para criação do seu projeto chegou o tão esperado momento, agora é a hora da ação!!! Nesta fase é importante que vocês entendam o que pode potencializar seu projeto, assim ajudando em futuros caminhos que ele pode vir a ter e também os limitantes do seu projeto, aquilo que está fora de alcance. Para auxiliar nesse momento tão importante existem as ferramentas Matriz Básico e Matriz Gut, elas têm como finalidade ajudar a ver o que é prioridade para o projeto.


Matriz Básico: consiste em uma planilha, onde dando notas de 1 a 5 se consegue avaliar benefícios, abrangência, satisfação interna, investimentos, beneficiários e operação. Ela deve ser feita para todas as ideias, tendo no final o resultado de quais são prioridade para a execução do projeto.


(Fonte: Trainee 2013- Unilever)




Matriz Gut: semelhante a Matriz Básico, essa ferramenta ajudará a identificar a priorização através dos critérios: gravidade do problema, urgência da resolução e tendência da evolução do problema.

(Fonte: Trainee 2013- Unilever)



Pronto, seguindo esse passo a passo, e claro com muita paciência e atenção aos detalhes, você também poderá criar projetos e inovações que irão impactar de maneira positiva a realidade de várias pessoas, tornando o mundo um lugar cada vez melhor e menos desigual! <3



"Um grande empreendedor é aquele que sente sua vida transformada depois de transformar a vida de outras pessoas" -Simone Tavares



Por fim, o time ENACTUS UNIFEI ITAJUBÁ agradece sua leitura e desejamos à você uma feliz páscoa! Esperamos ter ajudado você a entender um pouquinho sobre essa metodologia tão importante que é o Design Thinking!


Compartilhe com seus amigos e em suas redes sociais para que mais pessoas conheçam… Deixe nos comentários sua opinião e dúvidas sobre o assunto, seu feedback é muito importante para que possamos crescer e trazer cada vez mais o melhor para você!



Um abraço e até a próxima! :)



164 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo