O que é o empreendedorismo social?

Olá! Seja bem vindx ao BLOG do time Enactus Unifei Itajubá! Abaixo você encontrará um conteúdo sobre: Empreendedorismo Social e seus conceitos!


Segundo Canadian Center Social Entrepreneurship "Um empreendedor social vem de qualquer setor, com as características de empresários tradicionais de visão, criatividade e determinação, e empregam e focalizam na inovação social [...] Indivíduos que [...] combinam seu pragmatismo com habilidades profissionais, perspicácias."


A partir disso podemos ver que o empreendedorismo social nada mais é do que uma forma de empreender ( ou seja, produzir algum bem ou serviço) com o intuito de ajudar a sociedade local e global de alguma maneira, tendo seu foco nas pessoas e em seus problemas sociais diários.


O seu objetivo é observar situações de risco social e construir projetos inovadores em cima delas, por meio da produção de capital social, inclusão e emancipação social.

Para saber um pouco mais sobre a origem do empreendedorismo social no mundo e no Brasil entre nesse link que te direcionará para outra publicação do nosso site que fala exclusivamente sobre isso:


https://www.enactusunifeiitajuba.com/post/roz%C5%A1i%C5%99ujte-svoji-komunitu-na-blogu


Qual a função do empreendedorismo social?


A fim de formar negócios autossustentáveis, o empreendedorismo social visa suprir as necessidades que deveriam ser atendidas pelo Estado(principalmente demandas vindas da população vulnerável).


O planejamento, a estruturação e o investimento em ações que geram uma oferta de serviços e produtos é de suma importância no empreendedorismo social já que ele não visa ações pontuais e sim ações constantes e permanentes na sociedade. Por isso a arrecadação de fundos, como doações, são sim importantes, porém não devem ser a base da arrecadação.

Outro ponto importantíssimo são os indicadores definidos para cada projeto, eles ajudam a mensurar a evolução e a efetividade da ação.


A partir desses pontos, podemos observar que a função do empreendedorismo social é bem exemplificada no ditado popular “É melhor dar a vara e ensiná-lo a pescar do que dá-lo o peixe ” já que ao invés de tratar uma ação pontual, ele oferece a oportunidade de reverter a situação de uma determinada parcela da sociedade, empoderando-as a fim da autonomia e da auto sustentabilidade do projeto.


Ainda sim, isso não impede que trabalhemos pontualmente de forma assistencialista quando necessário, visto que, às vezes dar o peixe significa alimentar a pessoa para que fique bem o suficiente para aprender a pescar.




E como se dá a estrutura do empreendedorismo social?


A sua estrutura se dá em 3 principais ações:


  • Identificação de equilíbrios que apesar de estáveis são injustos por conta da exclusão, marginalização ou sofrimento de uma parcela da sociedade que por não possuir influência política ou social não alcança qualquer benefício transformador por si e para si;

  • Após a identificação, enxerga-se nela uma oportunidade de transformar essa injustiça, por meio do empoderamento social;

  • Criação de um novo equilíbrio que explore o potencial do grupo alvo, por meio de um ecossistema autossustentável. Garantindo assim um futuro melhor para a sociedade em questão.


Os teóricos como um todo associam o empreendedorismo à uma oportunidade, analisando e aproveitando-as além do compromisso e a motivação para segui-la mesmo tendo ciência dos riscos inerentes. O empreendedorismo de sucesso desencadeia uma ação em cadeia já que encoraja outros empreendedores a repetir e propagar a inovação.

E o que eu desenvolvo tendo um perfil de um empreendedor social?

A Revista FAE, publicou em 2004 um estudo sobre Empreendedorismo social no Brasil explorando as 4 principais características de pessoas com esse perfil empreendedor, são essas:

  • Conhecimentos

  1. Identificar e aproveitar as oportunidades de negócio ou parceria;

  2. Gerenciar pessoas e empresas;

  3. Aplicar soluções empresariais para resolver problemas sociais.



  • Habilidades

  1. Ter visão clara e proatividade;

  2. Ser empático;

  3. Saber trabalhar em equipe além de pensar e agir estrategicamente;

  4. Ser perceptivo e atento aos detalhes;

  5. Ser crítico, flexível e objetivo.


  • Postura

  1. Ser inconformado e indignado diante de injustiças e desigualdades unido à paixão pelo campo social;

  2. Ser comprometido e leal à sua missão;

  3. Ser ético;

  4. Ser transparente.


  • Competências

  1. Senso de responsabilidade;

  2. Senso de solidariedade;

  3. Sensibilidade diante de questões sociais;

  4. Saber integrar vários atores em torno dos mesmos objetivos;

  5. Ser líder.


A partir desses pontos podemos evidenciar que ao entrar em projetos que desenvolvem o empreendedorismo social, a pessoa adquire um crescimento gigantesco, tanto pessoal quanto profissional.



Impactos do empreendedorismo social


Segundo o Centro Universitário Salesiano, em 20 anos, os projetos de empreendedorismo social impactaram mais de 622 milhões de pessoas no mundo. Sendo esse impacto em 3 principais segmentos, são eles:

  • Educação: com a formação de educadores que podem ajudar a melhorar a qualidade do ensino nas escolas, contribuindo assim a longo prazo para o desenvolvimento da região.

  • Meio Ambiente: Iniciativas preocupadas com a expansão de tecnologias verdes, biotecnologia, análise de fauna e flora. São exemplos de empreendimentos que transformam positivamente a sociedade.

  • Saúde: Empreendimentos sociais que oferecem acesso à saúde para comunidades carentes ou afastadas dos grandes centros urbanos auxiliam o Estado na garantia de saúde de qualidade às populações vulneráveis.


Diferença entre um negócio social e uma Organização Não Governamental (ONG)


Solucionar problemas encontrados na sociedade: esse é um dos porquês que movem tanto as ONG’s, quanto os negócios sociais. Ainda sim, ambos possuem diversas diferenças, como a forma que esses problemas são solucionados e os fins que tomam.

As Organizações Não Governamentais são entidades que tem como propósito promover ações solidárias, sem o objetivo de ter nenhum fim lucrativo com as mesmas. As ações que promovem são assistencialistas e tem como seu principal objetivo a assistência, e não o empoderamento.


Enquanto os negócios sociais são ações que se baseiam em um modelo de negócios e vieram com o intuito de suprir essa necessidade que uma ONG tem de necessitar de apoio, parceria ou financiamento externo. O objetivo do negócio social é obter lucro o suficiente com as ações para que os projetos consigam em algum momento virarem autossustentáveis e que a população se empodere com os mesmos, para que consigam seguir sozinhos.






Exemplos de empreendedorismo social


ENACTUS

É uma organização internacional sem fins lucrativos dedicada a inspirar os alunos a melhorar o mundo através da Ação Empreendedora.

Uma rede de estudantes, líderes executivos e líderes acadêmicos, onde por meio de uma plataforma os universitários criam projetos de desenvolvimento comunitário que colocam a capacidade e talento das pessoas em foco. Com isso, os alunos fazem da Ação Empreendedora a ferramenta que transforma vidas.


http://www.enactus.org.br/


Gerando Falcões

Uma organização social que atua dentro de estratégia de rede, em periferias e favelas. Seus projetos estão focados em esporte e cultura para crianças e adolescentes e qualificação profissional para jovens e adultos, sendo um motor de geração de renda para famílias, inclusive egressos do sistema penitenciário.


https://gerandofalcoes.com/


Instituto Chapada (ICEP)

Uma organização sem fins lucrativos que trabalha para tornar realidade o sonho do acesso universal à educação pública de qualidade. Por meio do apoio à formação continuada de professores e gestores de escolas e do auxílio na criação de redes colaborativas voltada a fortalecer o ensino formal e políticas púbicas de educação.


www.institutochapada.org.br


Indicações:

Por fim, o time ENACTUS UNIFEI ITAJUBÁ agradece sua leitura! Esperamos ter te ajudado a entender mais sobre o que é empreendedorismo social e sua importância!


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Mas o que é o Simpósio? O Simpósio, segundo o CAPES¹, é uma reunião de iniciativa proposta à uma determinada comunidade científica, envolvendo assuntos específicos. Este tipo de evento visa agregar co